Fórum

Conto de Halloween - ResultadoO tópico está bloqueado

Código de busca rápida: 54-55-9-62734

de 2
Mod Lynx

Mod Lynx

Moderador da Jagex Perfil no Fórum Postagens
As bruxas estão à solta e cheias de Notas para distribuir!

O Halloween não seria o mesmo sem uma boa história muito assustadora, não é mesmo? Por isso, para comemorar o Dia das Bruxas deste ano, queremos ouvir o seu conto mais arrepiante!

Solte a criatividade e escreva
um conto original de Halloween ou utilize um destes enredos
:

"Você caminha pela floresta à noite quando sente uma presença às suas costas. Olhando por cima do ombro você não vê nada além das árvores podres e retorcidas que compõem a paisagem. De repente você escuta um barulho."

"Você caminha pelos corredores do castelo. A cada esquina que vira, você se sente mais perdido, como se o lugar inteiro fosse um labirinto que muda constantemente. Os olhos naquela pintura acabaram de se mover?"

Os
três contos mais criativos
levarão
duas Notas
cada, portanto capriche - quanto mais assustador, melhor!

E lembre-se, você pode enviar o seu conto até às
23h59 (horário de Brasília) de domingo, dia 8 de novembro
.

Os vencedores serão divulgados neste tópico. Será válida apenas uma entrada por pessoa.
Mod Lynx | Equipe de Tradução

26-out-2020 13:26:36 - Última edição 26-out-2020 13:30:30 por Mod Lynx

s-ister
ago Membro 2017

s-ister

Postagens: 2Bronze Postagens Perfil no Fórum Diário de Aventuras
Minha mãe estava me chamando na cozinha. Quando fui descer as escadas, ouvi uma voz saindo, baixinha do armário: “não desça lá querida, eu também ouvi”.

27-out-2020 16:58:34

Ay7ton
nov Membro 2019

Ay7ton

Postagens: 4Bronze Postagens Perfil no Fórum Diário de Aventuras
Estou muito intrigado, estou com novos amigos na Transilvânia e moramos em um chalé, na noite do dia 31/10/2019, escutei por entre a grade do aquecedor meus colegas sussurrando, falando que nosso chalé é assombrado, assim achei que era mais uma piada de dia das bruxas como todo ano, que viu cadeiras se mexendo que viu mesa sendo tirada do lugar, entre outros eventos horripilantes, querem saber o que eu acho ? Acho que é mais uma brincadeira de dias da bruxas, pois eu vivo nesse chalé a mais de 189 anos e não vejo nada de tão horripilante aqui.

happy Halloween
:D
a.b.m

28-out-2020 03:57:16

Riobaldo
nov Membro 2019

Riobaldo

Postagens: 460Prata Postagens Perfil no Fórum Diário de Aventuras
Sinto um suor frio percorrer pela minha pele e meu pulso acelerar.

Sigo pelas mortas árvores próximo ao Porto Phasmatys, tento procurar por Pete Pirata a nordeste do Ectofuntos, porém, não encontro nada a não ser uma densa neblina e seu pequeno barco a remo vazio e preso no cais. Continuei procurando pelas redondezas por ele, mas não encontrei nada além das almas e aparições que tristemente vagueiam por ali com seus tormentos.

Após horas e horas de procura, segurei o chapéu que peguei do Jack Raivoso na nossa última batalha com força e adentrei no pequeno barco de Pete que ali ancorava. Depois de seguir por um longo tempo me encontro frente a um antigo templo que emanava uma aura de magia roxa. Sem pensar duas vezes adentrei. O destino não iria me contar tudo se eu não continuasse, o frio que percorreu minha espinha de uma forma que nunca senti me deixou com medo. Uma espécie de rugido ecoou por todos os salões daquele templo. Eu senti a morte pela primeira vez.

Pego uma tocha em minha mochila * acendo.

— Quem está aí? — Grito em bu*ca de respostas. — Jack Raivoso, é você seu cão do mar? — A única resposta que obtive foi meu próprio eco e medo. A tocha seguia iluminando todo o salão. Quanto ouro, quantos livros, que tamanha biblioteca eu havia encontrado. O quão avançado nossa civilização poderia chegar com todo esse conhecimento? Pinturas ancestrais parecidas com as que visualizei no templo onde batalhei com Jack Raivoso encontravam-se nas paredes. Na minha frente, uma criatura tão feia que fariam com que vocês suplicassem por seus piores pesadelos para tirarem aquela imagem de suas cabeças, emergiu da neblina.

— Ousas adentrar no templo de Xau-Tak, pequena criatura? — vociferou a best***** tentáculos. Ao ouvir aquilo, sorri e desembainhei minha espada partindo em direção ao caos eterno.

A tocha se apagou. A única coisa que se ouviu depois disso foi um grito abafado.
Agradeço a atenção,
Dom Quijote de La Mancha
Mestre Pescador e Contador de Histórias

28-out-2020 13:01:08

O SUMIDO
ago Membro 2021

O SUMIDO

Postagens: 5Bronze Postagens Perfil no Fórum Diário de Aventuras
Primeiramente, boa noite. O conto ficou enorme então dividirei entre parte 1, 2 e 3. Espero que gostem!

Halloween em Lumbridge

Meu nome é Citungo, sou um nômade que viaja pelas terras de Guilenor em bu*ca de trabalho e hoje irei contar uma história arrepiante que aconteceu em uma das minhas passagens por Lumbridge.

Cheguei em Lumbridge e vejo que os moradores estão enfeitando para o evento de Halloween na cidade, todos estavam trabalhando duro porém Fred Fazendeiro parecia estar preocupado com algo. Ele estava suando frio***** um olhar desesperador enquanto colocava algumas de suas abóboras na frente do castelo.

Perguntei a ele o que aconteceu e então ele disse que na última noite de lua cheia, ouviu barulhos estranhos vindo de seu pasto de ovelhas, e então quando olhou pela janela viu um vulto e sua espinha congelou. No dia seguinte fora contar suas ovelhas e percebeu que estava faltando uma. Ele procurou e procurou pela cidade e não encontrou nada. Na noite do dia seguinte, então, algo bateu em sua porta e ao abrir, Fred viu um pacote no chão, e, quando abriu o pacote viu a cabeça da ovelha. Desesperado, jogou o pacote no rio Lumbridge e voltou para dentro de sua casa.

Esse relato de Fred não foi o pior que eu tenha ouvido em toda minha passagem por Guilenor, mas, seu olhar de desespero me motivou a ajuda-lo. Hoje é noite de lua cheia então seria o melhor momento para procurar pistas do ocorrido.

Vou até a pequena vila dos duendes, e encontro Srubs, um duende que roubou minha adaga de bronze logo quando cheguei em Lumbridge pela primeira vez e resolvi questiona-lo, não amigavelmente. Srubs então me conta que seus pais contavam histórias de um ser que habitava o pantano de Lumbridge e sumia com animais antes mesmo dos humanos criarem a cidade. Então o convido para procurar pistas comigo em troca de 1000 moedas de ouro (Os duendes adoram ouro) e ele aceito*.

28-out-2020 15:50:27

O SUMIDO
ago Membro 2021

O SUMIDO

Postagens: 5Bronze Postagens Perfil no Fórum Diário de Aventuras
Parte 2.


Conversei com alguns moradores da cidade para questionar sobre a ovelha perdida e sobre a história do habitante do pântano porém ninguém me deu alguma informação útil.

Então, junto de Srubs vou até o pântano e logo de cara nos deparamos com uma situação anormal. O poço estava cheio de sangue e fedia a carne podre. Algumas vísceras e pedaços de lã ensanguentados flutuavam na água. Noto que atrás de árvore e pedras se escondiam diabinhos nos observando mas um deles estava me olhando fixamente, e, seu tamanho começou a aumentar e logo ele se tornou um demônio negro. Todos os diabinhos começaram a vir em nossa direção, estavamos tão preocupados com a situação que nem percebemos que estavamos dentro de um círculo de invocação! O traçado do círculo brilhou em um vermelho carmesin e ao som de gritos Srubs foi pu**** por uma mão demoníaca para dentro do solo. Pobre Srubs.

Consigo sair do círculo, luto intensamente contra os diabinhos e contra o demônio negro enquanto do círculo surge um demônio ainda maior, como os da Terra Selvagem. Talvez seja meu fim, estou ficando exausto, não vou conseguir lutar contra ele*

*** tanto barulho no pântano, os guardas de Lumbridge foram verificar e viram e interviram na batal*a sangrenta que estava acontecendo. Eram cinzas e sangue cobrindo o chão, eram moscas voando desesperadas por alimento, corvos voando acima de nós, e enfim, depois de muita batal*a**** restou eu e o Demônio Gigante na minha frente.

28-out-2020 15:51:51

O SUMIDO
ago Membro 2021

O SUMIDO

Postagens: 5Bronze Postagens Perfil no Fórum Diário de Aventuras
Parte 3. Final.


Lembrei dos velhos contos sobre espadas de prata e brandi minhas duas espadas contra o Demônio. Eram sequências de esquivas e golpes, mas não parecia que estava funcionando, até que então não sinto mais meu braço esquerdo. Sim. O Demônio cortou meu braço esquerdo com sua espada. Cambaleando caí para trás***** o Demônio vindo em minha direção com um olhar faminto e só escuto um assobio. Eram os cidadãos de Lumbridge, guardas e os duendes da vila. Todos juntos atacaram o Demônio, tiveram algumas baixas mas com uma magia poderosa o Velho Sábio desarmou o Demônio e por fim, Fred Fazendeiro deu o golpe final arrancando sua cabeça com um ancinho de prata. Sim, um ancinho! Foi incrível.

Voltamos todos a Lumbridge, toda cidade já estava enfeitada para a festa, todos estavamos muito abalados com as perdas, mas, o espírito de Halloween perdurava na cidade. Todas comidas prontas, o banquete estava servido e os duendes participaram conosco da festa, menos uma pessoa, o Cozinheiro do Castelo, e, quando notamos sua falta ouvimos um grito vindo do Castelo, especificamente do Porão da Cozinha.

Era o Cozinheiro que planejava assustar os moradores, vestido com uma abóbora na cabeça, acabara de levar um tombo quando subia a escada. Mal ele sabia tudo o que aconteceu esta noite, ou, será que ele era o culpado por tudo? Fica o mistério.

28-out-2020 15:52:17

Khallazzar
mai Membro 2012

Khallazzar

Postagens: 1.716Mithril Postagens Perfil no Fórum Diário de Aventuras
Era mais uma noite tranquila na região sudoeste de Faladore.

Um jovem mago zamorakiano, recém-chegado à Torre próxima do Morfomago, sai em sua primeira tarefa quando a noite caiu. Por ser zamorakiano, era arriscado ir de dia.


Amanhã será seu primeiro contato com poções! Traga-nos Capim-da-cura da península próxima ao prédio dos artesões, seja discreto e use as sombras ao seu favor. Haverá alguns trasgos que podem tentar te atacar se considerarem você um alvo fraco, use essas runas para se defender caso um deles te causar problemas.

Determinado, o jovem mago vai até o local de coleta e consegue algumas amostras de Capim-da-cura. Um trasgo aproximou-se dele para feri-lo, mas nada que uma magia de fogo não resolvesse, assustando também outros tragos.

O grito de fu*a dos tragos chamou a atenção dos vigias dos prédios dos artesões que começaram a averiguar a área. Sem opção, o jovem mago vê um casarão de aspecto abandonado e esconde-se em volta dela.

Já tenho o que preciso, basta esperar uns instantes e os vigias se afastarão e retornarei para meu mestre com seu pedido, pensou.

Entretanto, o jovem mago escuta gritos de socorros de dentro da grande casa, mas como aquela enorme casa a tanto tempo abandonada poderia haver alguém.

Apesar de ser zamorakiano, o jovem mago arromba a porta da casa para ajudar as crianças.

Dentro da casa, haviam 5 chaves coloridas e com suas respectivas portas também coloridas com uma fornalha, que apesar de velha, ainda havia carvão..

O jovem mago percebeu que havia um feitiço nas chaves e ao sair da porta por onde entrou carregando-as, percebeu que as mesmas sumiram e retornaram á casa. Naquele momento, o jovem mago percebeu que só poderia salvar uma criança.
Ontem eu sofria, hoje sou cria.

The Outlander

28-out-2020 23:14:28

Khallazzar
mai Membro 2012

Khallazzar

Postagens: 1.716Mithril Postagens Perfil no Fórum Diário de Aventuras
Mas o jovem mago lembrou-se e seu avô, ferreiro humilde de Lumbridge e resolveu unir o pouco que sabia da Metalurgia que o mesmo ensinou-lhe com a Magia que agora tinha a ousadia de dominar.

Usando as runas restantes, ele atingiu o carvão que incendiou-se completamente, trazendo calor à velha fornalha.

O jovem mago derreteu as cinco chaves coloridas, na desesperada esperança de criar uma chave-mestra que salvasse as cinco crianças.

Obviament*, a chave ficou deformada e não abria nenhuma das portas

O jovem mago que poderia levar consigo uma chave da Vida, a trocou por uma chave de cinco Mortes.

O jovem mago compreendendo a consequência da sua atitude, enlouqueceu e trancafiou-se nos porões do casarão.

Os ramos de Capim-da-cura em sua mochila, não encontraram seu propósito.
Ontem eu sofria, hoje sou cria.

The Outlander

28-out-2020 23:26:02 - Última edição 28-out-2020 23:51:21 por Khallazzar

FellGui

FellGui

Postagens: 158Ferro Postagens Perfil no Fórum Diário de Aventuras
Tosa, tosa, cova


Fred, o fazendeiro comprou com sua mulher a muito tempo um sobradinho em Lumbridge, assim com o tempo adquiriu algumas ovelhas das quais gerava a renda da família. Pelo que dizem, sua mulher e futuro filho faleceram no parto. Assim, Fred ficou um longo tempo sozinho até que algumas ovelhas pudessem lhe dar problema, para tanto Fred oferecia trabalho aos jovens aventureiros que passavam por perto. Eles tosavam suas ovelhas e com isto ganhava uma graninha. Ninguém suspeitava do sofrimento que o pobre fazendeiro passou na noite em que sua família morreu, todos tinham certeza de que este dia ficou marcado na memoria do homem.

Certa noite, o fazendeiro no anoitecer ouviu um gemido infantil vindo de fora. Porém, mesmo que infantil, o grunhido arranhou sua pele como uma mão gasta de agricultor. Rapidamente pegou sua espada de ferro e foi olhar pela janela, ao longe via apenas as ovelhas e carneiros, olhando mais de perto viu um homem ajoelhado tosando sua ovelha. Fred sentiu muita raiva, foi correndo para o curral sem preocupar muito com as galinhas que ao verem a cancela aberta rapidamente se dispersaram. Quanto mais perto chegava, menos era reconhecível o homem que trajava um jaleco branco e um arco curto, além da **soura. Então Fred gritou: "Saia do meu curral, seu moleque!"

O moleque se ajeitou no susto e logo se pôs a correr, mas foi tarde. O fazendeiro lhe cravou a espada e o coitado cedeu ao chão. Já no chão o moleque deu novamente um gemido e suplicou: "Pai... não me confundas..s" - e morreu.

Depois dessa noite, o fazendeiro resolveu consultar um especialista em Burthorpe, o danado do doutor já foi lhe dizendo o obvio: "Ora pois, todos estes aventureiros são seus filhos, uma vez que sofre de demência e esquece o que entendeu hoje no nascer do amanhã".

Pobre Fred, assassinou seu próprio filho em nome de uma doença estupida. Mais tarde, cavou uma co*a para seu filho ao lado da sua mãe.
FellGui, o Wikiano
|

29-out-2020 14:59:07

Código de busca rápida: 54-55-9-62734Voltar ao Início