Notícias

Diário de Arqueologia: Alvorada!

Diário de Arqueologia: Alvorada!

Enquanto investigava a nova sede da Guilda dos Arqueólogos em Varrock, nosso estagiário duende descobriu outra página de diário, astuciosamente escondida em uma lixeira juntamente com uma carta intrigante de ninguém menos que Vanéscula Drakan! Ah Tony... onde é que você se meteu desta vez?!

Sexta-feira, 13 de moevin

Anthony B. Robinson,

Quando concordei em ceder meus súditos, minha fortuna e meu conhecimento inestimável para a sua expedição excêntrica, era sob o entendimento de que nos seria revelado o destino de nossos ancestrais - as forças de ataque vampíricas que corajosamente deram suas vidas por Lorde Zamorak.

Talvez você possa explicar por que os seus irritantes "Espíritos do Tempo" continuam nos guiando até cadáveres icyene?!

A despeito da sua promoção a Mestre da Guilda, talvez eu deva lembrá-lo que os icyene eram nossos inimigos durante a Guerra dos Deuses. Acometido pelo mal da mortalidade, é possível que você não compreenda o problema que isso pode causar, mas eu lhe asseguro que um lembrete de nosso passado violento é a última coisa que a nossa frágil aliança necessita.

Alguns ossos antigos serão o menor dos seus problemas se eu descobrir que você tem qualquer coisa a ver com aquele maldito farol! Presumo que você não tenha ciência dele: o que é, a propósito, a razão para o seu sangue ainda estar confortavelmente dentro de você. Agora preste atenção.

Percebemos que cada vez mais Espíritos do Tempo estavam se movendo em direção ao mar há uma semana, e sinceramente, eu esperava que essa fosse a última vez que os veríamos. No entanto, ontem, enquanto eu tentava pôr meu sono de beleza em dia, todos eles começaram a brilhar com uma intensidade horrível. Foi quando percebemos que a luz não vinha somente dos Espíritos do Tempo: algo na água também cintilava, e os malditos estavam erguendo-o.

É claro que é muito brilhante para que eu realmente possa conferir em detalhes, porém minhas fontes dizem que essa coisa é a Alvorada, um símbolo icyene de esperança. Veliaf vai se deleitar com essa.

Acima de tudo, essa luz celestial está tornando a nossa vida muito difícil, e como foi você quem introduziu esse tormento em nossas vidas, é de sua responsabilidade se livrar dela.

Não me decepcione, Mestre da Guilda. Não me importa quem estará envolvido ou o que você precisará fazer. Simplesmente. Apague. Aquela. Coisa.

Furiosamente,

Vanéscula Drakan


Ahhh! Por que eu não posso ter um sítio de escavação simples, sem nenhuma porcaria sobrenatural agregada? Eu aceitei a promoção a Mestre da Guilda na esperança de que os outros se encarregariam das tramitações diárias e que os meus dias seriam bem mais calmos! Vampiros furiosos? Construções surgindo do fundo mar? Mal completei uma semana como Mestre da Guilda e já me sinto exausto.

Mas toda nuvem negra traz por trás dela um raio de esperança! O farol - e a luz de Alvorada que o alimenta - tinha papel central na cultura saradominista, e este sítio pode iluminar (haha!) um período da história que pensávamos estar há muito perdido. Além disso, dizem as histórias que a luz tem poder próprio, algo que pode se provar útil nestes tempos conturbados.

Então é isso! Alvorada, a esperança dos icyene há muito perdida, ergueu-se novamente! Que outras maravilhas essa luz poderá iluminar?

Junte-se a nós novamente na próxima semana para o quinto e último diário de Arqueologia, onde investigaremos algo chamado Fonte Infernal.

Estranho - a única coisa "infernal" que eu vi na Taverna do Javali Ébrio foi o kebab...